quarta-feira, agosto 16, 2006

A Pilantrocracia e as Estradas


No post anterior, expus alguns exemplos de como os impostos do Governo - sempre criados para o bem de todos - acabam sendo completamente desvirtuados. O dinheiro da CPMF que deveria ter ido para a saúde não foi, ou foi em parte e agora ele é usado até para pagar juros da dívida interna. A CIDE que deveria ser aplicada na infra-estrutura de transportes também está sendo desviada.
Imaginem quantos outros impostos "pró-educação"ou "pró-saúde" nós pagamos, mas que estão custeando propaganda do governo, benefícios do funcionalismo, ou para criar mais uma secretaria de inclusão da minoria X!! Se bem que, levando em conta os mensalões da vida, sanguessugas e dólares na cueca que temos visto, até que não ficaria tão chateado de ver meu imposto do combustível pagando papel sufite de repartição...

Vamos ver agora um exemplo de menos Governo, mais iniciativa privada. O governo de SP resolveu fazer contratos de concessão (diferente de privatização!) com empresas, para administrar as estradas. O governo do Estado exige das concessionárias a duplicação das rodovias, telefone a cada 2 km, câmeras de segurança, ambulâncias de prontidão, postos médicos e, em troca, as concessionárias recebem o pedágio. Hoje, 15 estradas de São Paulo estão entre as 20 melhores do país.
"Ohh, mas aposto que cobram um pedágio abusivo! Estão explorando os cidadãos que usam as estradas!", é o que alguns irão dizer. Pois bem:
- Quando o governo administrava, todos pagavam os impostos, mas nem todos usavam as estradas.
- Quando o governo administrava, não havia os pedágios mas as estradas eram "aquela coisa"; hoje são as melhores do país. Quando vou de São Paulo a Brasília (1000 km) sei exatamente quando saímos do estado de SP e entramos em MG. Começa a tremer tudo no ônibus e eu acordo!
- Se eu for de carro, pagarei aproximadamente R$ 160 (ida e volta), de pedágio em SP. Achou caro? E quanto você pagaria por uma roda amassada em um buraco? Quanto você pagaria por um acidente, assumindo que ninguém saia ferido? Sabia que você pode cobrar da concessionária os custos de um acidente causado por má conservação da estrada?
- E por último, se você viu meu post sobre o preço da gasolina Petrobrás na Argentina, chegará à conclusão que os pedágios não são tão caros. É o combustível no Brasil que é caro.

Mas... nem tudo são flores. Os governos de diversos estados agora estão exigindo que as concessionárias cuidem de outros trechos não previstos no contrato, aumentando os impostos que as mesmas pagam, ameaçando congelar os pedágios como plataforma eleitoral...
"Ah, mas as concessionárias ganham rios de dinheiro", posso imaginar alguns dizendo. Ah, é? Imagine uma empresa que tem que pagar salários não congelados, impostos não congelados, combustível e vários outros materiais não congelados, ter a sua única fonte de renda congelada por 4 anos (ou mais!) por causa de populismo!

Concessões e privatizações feitas desse jeito, não dão certo mesmo!! O Estado brasileiro é um dos poucos que consegue atrapalhar até na hora de se retirar de um setor.

0 Comments:

Postar um comentário

Links para este post:

Criar um link

<< Home